Homem que matou afilhado, disse que não comemorava e nem votou em Bolsonaro

Homem que matou afilhado, disse que não comemorava e nem votou em Bolsonaro

 

A morte de um menino de 8 anos ocorrida na noite deste domingo em Ponta Grossa-PR, causou muita comoção e indignação não só à família e conhecidos, mas também por onde circulou a notícia postada pelo site ROTAGUAIRA.COM.BR. que até por volta das 20 horas desta segunda-feira (29), já havia alcançado a marca de cerca de 540 mil compartilhamentos apenas no Facebook.

 

O menino estava em casa, no bairro Vila Vilela em Ponta Grossa, quando foi atingido pelo disparo fatal.

 

Pouco mais tarde após o ocorrido, o padrinho da vítima, de 28 anos, disse ter sido o autor do disparo. De acordo com os policiais que atenderam a ocorrência, os próprios pais do garoto disseram que o tiro foi acidental, que a arma, uma pistola 380 estava sendo manuseada e dois disparos foram efetuados, sendo que um deles atingiu fatalmente a criança.

 

Na sequência, foi constatado que, o pai do menino usa tornozeleira eletrônica e que na casa da família foram encontrados 248 gramas de maconha e 44 gramas de cocaína, além de duas balanças de precisão e dinheiro em espécie. O pai e o padrinho do menino foram presos.

 

Imediatamente após o fato, algumas testemunhas disseram que o homem estava comemorando a vitória de Jair Bolsonaro com tiros para cima e por isso manuseava a arma, o que não foi confirmado pela polícia, e também pelo acusado, que negou que o disparo tenha qualquer relação com a comemoração do resultado das eleições, dizendo inclusive, que votou no candidato perdedor.

 

 

Foto: Grupo Repórter da Hora